Há dois dias choro

Meu lindo e precioso amigo chora e vejo isso há dois dias.
__________________________
Meu resfriado me joga no chão.
Sei, frustração. Detesto ter razão.
Sei lá pra que serve a razão, se não modifica uma situação.
Meu amigo chora, se perguntando para que vivi? Por que estou aqui?
Para o quê, eu servi?

Penso… talvez, conte pouco em sua carteira de créditos.
Mas, sei por mim, porque você teve que existir.

Estava escrito, que alguém perderia a lanterna que ilumina o caminho.
Alguém que apesar de todo o empenho em acertar,
cometeria erros e mais erros,
até sentir-se bloqueado, asfixiado, sem saída.
Esse errante precisaria de … Continue lendo

Lilás em seda Pura

Iris by Ten Directions

Iris by Directions on Flickr

Aceitar-se: A análise da lista

Ônibus pra faculdade, tempo sem interferências, eu em meu canto, pra você o banco-do-busão, para mim, a tranquila posição da música de Caetano: “Terra… apareces inteira”.

Vou organizar aquela lista (origem: link)
Ah… pretensiosa. Droga, não estou conseguindo me achar.encontro amigo
Vou ver o sentido… Não trouxe, putz… Deixe-me ver o que sei sobre essa palavra: pretende – ser – ciosa, bah… não dá.
Deixa lembrar quando ouvi, com que entonação, quem disse que eu era pretensiosa?
Aham… aquela cheia de intensões, estilo unhas-espetinhos, sempre alfinetando alguém. Estava entre irônica e travessa, parecia ter programado tudo para ter essa chance, na surpresa pra doer… ou, talvez para eu não rebater.

Não sei… Como alguém gasta seu tempo assim, preparando uma armadilha especial, e, parecia só para mim.
Agora, fui esnobe. É… porcaria, posso estar sendo pretensiosa.
Todas as pessoas que se envolvem muito com aparência, me parecem ser, por dentro, um lixo. Balanço a cabeça com desdém.
Olha eu aí… julgamento e superficialidade. Coisa que odeio que façam comigo. Bah, difícil manter-se a regra.
Estou de mau humor agora. Tri-afim de julgar todo mundo, pegar umas faquinhas (não as shuriken, as outras) e prega-los esticados na parede, secando ao sol.
Mau humor, mau humor. Ah, eu parecia tão perfeita, agora… Pretensão…  Ouço meu ranger-de-dentes, essa lista vai dar trabalho. Só me falta ter que agradecer aquela lambisgóia.
Nossa! Julgamento, xingação e muito afim de nomes feios. Ah… a minha mãe por perto! Eu iria sentir o gosto da pimenta!
Tô pensando no prazer que ela teve em me dizer o que disse. Parecia uma grande vitória. O engraçado é que ela usou seu tempo de fofa e linda para planejar isso tudo. Acho que 2 ou 3 pessoas atentaram para aquilo, contando comigo. A flecha era só para mim, acho. Agora percebo que quem estava a meu lado percebeu e o marido dela também. Diacho, ela poderia ter feito um circo com isso e não fez. Agora… que gastou tempo elaborando dava pra perceber.

Empaquei! Nem pra frente e nem pra trás.
Uma vez, alguém falou algo sobre ser grata: “Agradecer o que se recebe”, agora eu poderia preparar uma e agradecer o tempo que aquela praga gastou para me espetar. Eu a ignorei pelo resto da festa, não lhe dirigi um olhar por todo o tempo. Determinei invisível. Não a vejo, não a ouço, com naturalidade tornou-se “Persona não grata.”
Uhmmm, seu marido desapareceu em certo momento, ela também, vai ver a peste sujou o vestido, fofa que é fofa entra em conflito se pratica algum deslize. Ai, ai, ai, estou peçonhenta.

Ooopa, estou fora da “janela de observação” de novo, credo, nem percebi que estava dentro.
Xiiii, não acredito em mim. Ando imaginando coisas, parece que vi um filme. Eu feri essa moça, alguma coisa me dá essa certeza e nem me dei conta. Ela adora receber em sua residência. Quer tudo perfeito. Arruma tudo, quer que todos se sintam confortáveis. Fica faceira se percebe que sentem prazer. Todos a tratam com respeito e delicadeza. É daquelas que preparam algo especialmente para agradar aqueles a quem recebe. Resplandece com elogios e a satisfação de seus convidados.

Acréscimos em minha lista: fria, congelante…
Não, vou riscar. Insensível é mais correto.
Essa agora… Putz, me desculpo ou acrescento inconsequente?

A parada que é bom, não chega nunca, que tranqueira!!!
Não vai ser fácil. Dizer errei e nem sei quando errei… Vou ofendê-la ainda mais. Melhor agradecer e reconhecer que ao refletir reconheci que preciso trabalhar esse aspecto de minha personalidade. E devo acentuar que percebi todo o empenho, o cuidado que teve para não me envergonhar diante dos demais.
Finalmente, a bendita parada chegou.
T+
Final: Link

Corrigir hábitos

Um programa de rádio que mexeu com a cidade, eu era garota.
Os entrevistados que, por 2 minutos aproximadamente, respondessem todas as perguntas sem pronunciar as expressões: “Não e Né”, recebiam premiação.
Como bons brasileiros, muitos respondiam sim a tudo e o locutor, cada vez mais esperto, logo derrubou essa estratégia, com questões complexas que exigiam respostas adequadas.

Eu pensava em como desejamos estar com a razão e como uma revanche é tão mais importante do que sair de nosso lugar comum. Dar-nos o direito a uma fugaz chance de modificar nosso status quo, sairia bem mais em conta, mas… Pensava em uma técnica para conquistar a boa-vontade minha e a alheia, e lembrei desse programa.

Foi belo o impacto na cidade
As pessoas deixaram de se portar de forma tão matuta e começaram a elaborar melhor seu vocabulário. Arrisco em dizer que envergonharam-se de suas simplórias estratégias. 

Ouvia-se muito: — Não, é não, e ponto final!, significando, não discuta, não debata comigo. Assim como, o simplório e frágil : um pedido de concordância misto de desculpa pra tudo.

A tempo, lembrei que… mesmo hoje, ainda digo: Não!? significando, surpreendente e pronuncio , esperando apoio.

Corrigir hábitos é uma questão de meta a alcançar, leva tempo e tempo é dinheiro. Bem pensado, o tempo da elaboração de estratégias para provar aos outros que meu erros se justificam e portanto, não eram exatamente erros, ?

Moça Bonita

Moça bonita seu corpo cheira a botão de laranjeiraschool daze on Flyckr by Austin Tx
eu também não sei se é.
Imagine o desatino é um cheiro de café
ou é só cheiro feminino ou
é só cheiro de mulher.

Moça bonita seu olho brilha
qual estrela matutina
eu também não sei se é.
Imagina minha sina é o brilho puro da fé
ou é só brilho feminino ou
é só brilho de mulher.

Moça bonita seu beijo pode
me matar sem compaixão
eu também não sei se é
ou pura imaginação pra saber você me dê
esse beijo assassino nos seus braços de mulher.

 

by Geraldo Azevedo/Capinam

Era casa era jardim

Era casa era jardim
noites e um bandolim
os olhares nas varandas
e um cheiro de jasmim…

 

Era um telhado um pombal
melodia e madrigal
e ninguém nem percebia
que o real e a fantasia
se separam no final…

 

by Vital Farias

Vai murrê não

Vai murrê não amô…
Vai murrê não…
essi murrê cunteci c’ocê dando vida d’otru pr’ eu.
Cunteci c’ocê qrendo vim tudo pr’ eu.
Vai murrendo ansi amô, vai murrendo…
fico imbuchada de vê o amô murrê n’ocê
e vim vivê imim.