As mulheres no Pan/2007

O que faz uma bem sucedida mulher chorar copiosamente, publicamente, sem pudores, a perda do sonho de outras mulheres?

As entrevistas revelam a batalha diária por direito à expressão, por direito a representar novos papéis. E Marta sim, chorou pelas companheiras que não poderão viver diariamente o que suas almas pedem.
Marta Futebol FemininoRebeca, a Gigante, revela que sem o apoio do esposo, sem a aceitação sincera de quem ela respeita a opinião, não conseguiria ser a primeira nadadora feminina a conquistar o ouro. E aí temos também a goleira Chana e muitas outras.

O corpo dessas meninas contam o que fazem, o que gostam, o que vivem e são lindos em movimento, em expressão – você pode fotografá-las de qualquer ângulo em um momento de raça, um momento de expressão necessária a comunicação nesse meio.

Certa vez, eu, não guerreira, dizia em um grupo de crescimento: eu não me defendo porque, se eu me preocupar com defesa, dificilmente chegarei a realizar algo – não conseguirei manter o foco em coisa nenhuma. Um companheiro de grupo comentou: Você com esse procedimento condena alguém a guerreiro por toda a eternidade.

O comentário me acompanhou durante um bom tempo.
Pensei em nossos homens. Nós os condenamos a papéis de protetores, defensores e nutridores – sei que muitos estão rebelados – mas, “sabiamente” temos “indutores de comportamento” para eles também.

A viagem ao passado do mundo feminino nos leva as burcas, aos véus, aos conventos, aos haréns, aos cintos de castidade – imagino o que foi dito a primeira mulher que mostrou em público seu rosto sem os véus – possivelmente o mesmo que disseram a primeira mulher que usou biquíni enquanto estava visivelmente grávida.

Todo garoto assistiu Xena e adorou quando Gabriele retorna não mais como uma garota crédula que só critica a praticidade e experiência de Xena – mas, que se defende, que tem músculos definidos, que se assume, sem estar com um olho sempre no que deixou para trás.

Percebo a ânsia feminina de papéis mais audazes, também é evidente a admiração dos rapazes por elas. Nós mulheres, continuamos ainda intimidadas e temerosas, não realmente dos homens, mas das mulheres e seus clãs que se fecham e excluem aquelas que ousam quebrar paradigmas. Após novos estilos estarem consolidados, agem como se a inspiração houvesse brotado e se desenvolvido sob sua proteção – Chanel e outras imortais, que as perdoem.

Ainda somos obrigadas a cuidar dos papéis não considerados de projeção. Investir em marketing daria mais projeção à educação, à primeira infância, à administração de uma residência, assim possivelmente nossos parceiros passariam a prestar mais atenção e participar dessas funções.

Não dá para substimar o marketing. Observe as mulheres cabides, pode ser inspirador – elas podem ganhar milhões e não poderão se nutrir decentemente – mas quem não quer ser uma morta de fome dessas?

Uma feliz e bem sucedida mulher, não devia sofrer em seu momento de maior glória olhando para nós, o seu passado.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: