Liberdade para voar

Aonde vais, com tanta pressa? Ela te impede a percepção dos detalhes, das minúcias, das reentrâncias. Aonde vais? Não tornastes sólido teu território, não primastes por organizar teus teoremas, aonde vais?

Queres que o mundo todo passe por ti veloz e crês que assim registras tudo o que existe?

O pequeno que afastas enquanto rápido te moves, jogado à distancia, ao desconhecido percurso, sem os elos de um talvez, sem os recursos do recuo, não registrastes.

Porque te moves como se a velocidade te fosse gêmea e não teus pares.

Aonde vais? 

Aqui é solidão em ti, mas a solidão se faz sentir onde no espaço, senão dentro de um corpo que tenta fugir, e de um espírito que processa os deglutires das razões nem sempre presentes nas ações.

Aonde vais? Para a busca de modelos aqui insondáveis? Insondáveis para ti e confusos para outrem, porque então a certeza de que aqui não devas sondar.

A atual fé te acelera e o registro da visão se desfaz em velozes descolamentos.
Um convite chega, em sussurros meigos… vale a pena ficar se percebes uma nova forma de olhar.

Anúncios

3 Respostas

  1. Olha… vamos dizer que esse post foi um tapa na cara pra mim….
    Não sei onde vou, mas to indo depressa…

  2. Ooops, devo ter mais cuidado com as palavras : – (

  3. rá…não…mas me fez pensar

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: