É dia dos pais!

Um dia complicado, às vezes, nas lembrança de um amor incondicional de filha e a posição de co-criadora de uma nova geração.

As lembranças das reclamações da mãe sobre atitudes do pai, que me pareciam tão injustas naquela época, pois quebravam a magia do momento, logo se tornaram compreensíveis, quando eu era a esposa e mãe, por conta de tantos sustos. Pouco sábia, nas artes da responsabilidade por outra pessoa, o mundo parecia desabar quando coisas inesperadas aconteciam. E como eram frequentes.

Parece que crescer exige de nós uma maturidade que será adquirida logo após a experimentação. Parece mesmo ser assim.

Ao homem, também me parece, há “liberdade” e permissão da sociedade para existir. Seu caminho é uma livre escolha e alguns exercem essa liberdade. Às mulheres, me parece, há um ressaltar da sua condição, de quem “sofrerá” as consequências, pois é em seu corpo que tudo acontecerá. E esse corpo é mantido pela sociedade sensibilizado, exposto e condicionado pelos costumes locais, na atualidade.

Mas, não acabaram as lembranças. Você terá filhos e poderá assistir de camarote novamente as suas crenças, sob um novo ângulo. E, tudo o que você cobrou e criticou em seu esposo, agora, será medido novamente. O quão justa uma mulher se torna quando, entre a experiência de filha e de esposa, ela experimenta o ângulo do olhar de uma mãe?

A teoria do Superman está inserida em nossa psique
Seja com os “príncipes” que nos levam na garupa de seu Alazão, com os “sapos” que juramos ser príncipes, ou com aqueles que são apenas pessoas, de encanto e encontros vamos conectando com a realidade e com a condição de não sermos especiais, e mesmo assim com direitos a buscar novos jeitos de viver e atuar. Os estímulos nos dirigem para a ação e resultam, claro, em aprendizado. Mundo complexo, não?