Intenções

O Discurso

As melhores intenções e nem sempre os melhores resultados – Histórias e debates sobre o calcanhar alheio, chutado, “digamos”, sem querer.

  • Corrigir hábitos
  • Basta ser habitual para simpatizarmos com uma ação, mesmo que a luz da razão ela receba a classificação: Mórbida.

    A justificativa é um exemplo, quantas vezes explicamos nossas motivações, num esforço em ratificar, frente aos outros, nossos atos?
    É útil para conquistar simpatia, para o resultado final não há acréscimo.

    Nascemos sem berço — conhecer as decisões tomadas e os sentimentos envolvidos no momento de nossa concepção, não raro, são de amargar. Eis o motivo que nos leva a reconstrução. Descobrimos a América? Que seja!

    O óbvio nem sempre é suficientemente visível. Fazer o quê?

    Vamos viver ganhando o pão com o suor da face e ainda, ajustando todos os nossos parafusos. Um aviso nem tanto simpático: esses desorganizados itens sofrem desgaste com o tempo, conte com isso — a manutenção.

    Aceitar essa, como sendo a ocupação natural de nossa existência, diminuiria em muito, a irresponsabilidade com que atuamos diariamente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: